segunda-feira, 10 de março de 2014

Loja Singer Porto & as Artesãs #3



B.I.

Nome: Andreia Macedo
Atelier/Página: A Naïf  
Local: Maia 




Há quanto tempo é artesã?
Assim me considero à cerca de seis meses.


Como é que surgiu a sua paixão pela costura?
Desde sempre por muito perto estiveram os trabalhos manuais.  Cresci a ver a minha mãe a bordar e a tricotar constantemente, a minha avó compulsivamente a fazer crochet e a minha outra avó era costureira. Cada uma com sua arte. Em criança sempre me entretive nas férias a fazer tapeçarias. Mas curiosamente, o meu interesse maior acabou por cair na costura, arte com a qual tive menos contacto apesar de me lembrar muito bem da minha mãe às voltas com a máquina da costura para me fazer fantasias de carnaval ou fatos de ballet. Ainda hoje quando a minha máquina “empanca” me veêm essas memórias.
Começei a costurar quando a minha mãe me ofereceu uma máquina de costura, há já muito tempo. Na altura, e durante alguns anos, só a usava pontualmente. Houve períodos em que só a usava para fazer bainhas nas calças e outros que fazia prendas para os amigos... bolsas, estojos, etc.
A minha história como artesã é identica à de muitas outras: Fui mãe e pus-me a fazer o ninho e não consegui parar! Quis ser eu a fazer tudo para o quarto da minha filha. Propus-me a fazer coisas que nunca tinha feito e à medida que fui superando os desafios e ficando feliz com os resultados, fui ganhando confiança. Certo dia encontrei-me sem trabalho e comecei a ter dolorosas insónias. Só passaram quando me apresentei como “A Naïf” e comecei a trabalhar como artesã.






É artesã a tempo inteiro ou por hobby?
Acho que posso dizer que sou uma artesã a meio-tempo. A minha  actividade profissional é muito instável e os últimos dois anos tem-me oferecido muito tempo para o artesanato, mas principalmente para a minha filha que tem tido a mãe a tempo inteiro. Acho que dificilmente seria só artesã. Adoro o que faço profissionalmente e disperso-me facilmente por outros interesses. Isso acaba também por se revelar nos trabalhos de costura: ora surgem projectos para bebé, ora para ciclismo, ora veio o carnaval... e o próximo, completamente diferente, é a pensar no ambiente e higiene feminina.

Qual foi o projecto que mais gostou de fazer?
É muito dificil responder a esta pergunta. O projecto que mais gosto costuma ser o que tenho em mãos.... um vestido em tecido de capulana para bebé. Mas talvez o que mais prazer me deu  fazer, porque foi pura criação, foi o livro de cores que fiz para a minha filha. Foi um projecto que me deu muito que pensar no que diz respeito a isto de ser artesã e viver disso: Como viver de peças que são únicas e extraordináriamente trabalhosas às quais não se lhe consegue atribuir o seu real valor?






Muito Obrigada, Andreia :)!

Bons Trabalhos!

 

1 comentário:

  1. Ora bem!!! eu é que agradeço! Adorei aqui marcar presença! :D

    ResponderEliminar